Descoberta carta de líder nazista a líder muçulmano

Com informações de Ynetnews 

O documento em questão é uma carta de agradecimento enviada pelo chefe da SS, Heinrich Himmler, ao líder palestino no outono de 1943, no auge do extermínio dos judeus na Europa.

“Ao Grande Mufti Amin al-Husseini. O movimento nacional-socialista da grande Alemanha fez do seu combate contra a comunidade judaica mundial um princípio orientador desde o seu início. Por essa razão, tenho acompanhado de perto a batalha dos árabes que buscam a liberdade – e especialmente na Palestina – contra os invasores judeus”, escreveu o comandante da SS.

Himmler continuou, dizendo: “O reconhecimento conjunto do inimigo e a batalha conjunta contra ele são o que cria a lealdade firme entre a Alemanha e os muçulmanos que buscam a liberdade em todo o mundo”.

Himmler terminou a carta com parabéns ao Mufti, dizendo: “Neste espírito, estou feliz em desejar-lhe no primeiro aniversário da Declaração Balfour, calorosos votos para a continuação de sua batalha até a grande vitória”.

letter to the mufti

Cópia da carta de Himmler ao Mufti

Al-Husseini, mufti de Jerusalém, foi considerado o principal instigador dos tumultos de 1920 e foi condenado por absentia pelas autoridades do Mandato Britânico a 15 anos de prisão.

No entanto, foi concedido um perdão dentro de um curto período de tempo, e foi nomeado um ano depois para o Mufti, a autoridade suprema em matéria de religião.

Ele tomou uma posição extrema, rejeitou qualquer cooperação com as autoridades do Mandato Britânico, opôs-se ao estabelecimento de uma casa nacional judaica e rejeitou qualquer possibilidade de chegar a um acordo com os judeus.

Depois de seu exílio da Palestina, ele permaneceu no Iraque durante a guerra com a Alemanha nazista.

to the mufti

A carta de Himmler foi enviada cerca de dois anos após o encontro entre o Mufti e Adolf Hitler no meio da Segunda Guerra Mundial, durante o assassinato de milhões de judeus na Europa Oriental.

De acordo com um arquivo britânico revelado há 50 anos, o Mufti aproveitou a oportunidade para agradecer ao Führer, popular com todo o mundo árabe, pela simpatia que sempre demonstrou ao mundo árabe, especialmente aos palestinos.

“Os países árabes estão convencidos de que a Alemanha ganhará a guerra e de que os interesses árabes irão florescer.” Os árabes são amigos naturais da Alemanha porque têm os inimigos comuns da Alemanha, especialmente os britânicos, os judeus e os comunistas. Dispostos a cooperar com a Alemanha com todo o seu coração. “

O tema da ligação do Mufti com os nazistas foi o cenário criado em Israel no ano passado, depois de um discurso feito pelo primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, no qual ele alegou que Hitler não queria exterminar os judeus, mas Al-Husseini o convenceu.

Traduzido da página Ynetnews

Curta O Apontador

Anúncios